Gibiteca de Curitiba

Endereço:
Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 533, Solar do Barão - Centro

Contato:
(41) 3321-3250
magarcia@fcc.curitiba.pr.gov.br

Horário de funcionamento:
9h às 12h e 14h às 18h (2ª a 6ª feira) e 14h às 19h (sábado)

Apresentação

Espaço democrático, que reúne ilustradores, designers, artistas plásticos, pesquisadores, professores, estudantes e simples amantes dos quadrinhos, a Gibiteca de Curitiba é um centro cultural efervescente e dinâmico. O local dispõe de mais de 25 mil títulos de todos os gêneros de histórias em quadrinhos, para empréstimos e consultas, além de abranger outras iniciativas, entre elas cursos, oficinas de criação, exposições, palestras, lançamentos e encontros de RPG (Role Playing Game), envolvendo o que há de melhor na produção brasileira e internacional. Grandes nomes da HQ brasileira como Laerte, Angeli, Glauco, Luiz Gê, Primaggio, Malavoglia & Garfunkel, entre outros, estiveram na Gibiteca, trocando informações com a nova geração de cartunistas. Aos poucos, artistas curitibanos também foram despontando no cenário nacional e hoje têm seus desenhos e histórias estampados em jornais e revistas de todo o Brasil.

Criada em 1982, a Gibiteca de Curitiba teve como primeiro endereço uma das salas da Galeria Schaffer. Depois, em 1988, transferiu-se, para o Centro Cultural Solar do Barão, onde permanece até hoje. Toda a gama de gibis infantis, heróis, humor, terror, cartuns, fanzines, mangás e exemplares estrangeiros faz do acervo da Gibiteca uma fonte valiosa para pesquisas. Nele estão guardados exemplares do personagem “Gibi”, nome que mais tarde foi apropriado para designar as revistas em quadrinhos. Há também as primeiras edições de “Tico-tico” e “O Globo Juvenil” (os mais antigos são datados de 1942), as primeiras edições nacionais de Batman e Capitão América, da década de 1950, além de uma coleção completa do Pasquim. A Gibiteca editou 15 números do Gibitiba, dando oportunidade aos jovens desenhistas de mostrar suas criações. Quando completou o 15º aniversário, a Gibiteca mereceu uma edição comemorativa da revista Metal Pesado, na qual foram incluídos trabalhos de 23 artistas, muitos deles integrantes de uma nova geração que teve justamente a Gibiteca como centro de formação.